O que levar em conta na hora de fazer um Test Drive de um carro

Você sabe o que levar em conta na hora de fazer um test drive de um carro? Todo artigo que fala sobre dicas na hora de comprar automóveis menciona “Faça um test drive”, mas ninguém nunca explica exatamente o que você deve analisar na hora desse teste. Afinal, como dá para saber se um veículo é bom ou não? Em que você deve ter atenção? Como fazer essa avaliação da melhor forma?

É importante entender o que levar em conta na hora de fazer um test drive de um carro, especialmente para quem vai comprar seminovos ou usados. Com o número de vendas de carros 0km caindo, os seminovos e usados se tornaram os principais produtos do mercado. Afinal, existe uma razão para a frota brasileira ter mais de 10 anos de idade em média, não é mesmo? No entanto, esses são os carros mais problemáticos também, o que exige um bom test drive antes da compra.

Quer saber o que levar em conta na hora de fazer um test drive de um carro? Então siga a leitura abaixo para aprender!

O que levar em conta na hora de fazer um test drive de um carro zero-quilômetro

Motor

Preste atenção no desempenho do motor em diversos níveis de aceleração. Teste a troca de marcha para ver se é macia ou se tem resistência.

Estrutura interna

Busque fazer o Test Drive em uma rodovia ou avenida que permita maior aceleração para sentir a estrutura interna do automóvel. Observe se as janelas estremecem e se há bom isolamento acústico dos ruídos externos.

Direção, pedais e painel

De uma forma geral, observe se esses itens são de seu agrado. Lembre-se que a direção e os pedais amolecem com o tempo, então o ideal é que sejam mais firmes inicialmente. O painel deve ser de boa visualização e rápida identificação dos sinais importantes (combustível, velocidade, seta e sinais de mau funcionamento)

O que levar em conta na hora de fazer um test drive de um carro seminovo ou usado

Motor

O primeiro teste do motor deve ser feito antes de pegar a direção. Com o capô aberto, escute se há anormalidades no barulho, como um ruído agudo e intermitente, ou alto e entrecortado. Um ronco baixo e constante deve ser o objetivo de um motor saudável sem problemas adicionais.

Estrutura interna

Além de testar o isolamento e a estabilidade da estrutura, como no carro novo, teste também a abertura das janelas, se estão emperrando ou não, as travas internas, o ajuste dos bancos e dos espelhos.

Verifique o piso e o estofamento, se há manchas ou rasgos e riscos no painel.

Direção, pedais e painel

Essa deve ser a parte mais importante da inspeção, pois diz respeito diretamente à segurança do motorista e dos passageiros. Verifique atentamente se a direção está funcionando corretamente e se os pedais estão livres. Teste os freios, inclusive o freio de mão, diversas vezes.

No painel, veja se está marcando a quilometragem corretamente, assim como a velocidade e o medidor de combustível. Teste se o marcador da seta está funcionando, assim como as lanternas do automóvel.

Suspensão

A suspensão do carro seminovo e usado pode guardar alguns riscos e desgastes ocultos. Por isso, é importante avaliá-la durante o test drive. Para isso, ultrapasse alguns obstáculos durante a sua corrida para ver como o veículo reage. Escolha um caminho que tenha lombadas ou algum lugar com aqueles pequenos obstáculos na pista (como em um estacionamento). A ideia é passar por cima deles e ver como a suspensão se comporta.

Freios

Assim como a suspensão, os freios podem ter problemas ocultos que você só descobriria durante o uso. A pastilha gasta, por exemplo, é o problema mais comum. Você teria de comprar uma nova, o que seria um custo extra.

Para testar o sistema de freios, acelere o carro a uma boa velocidade e então freie de uma vez. Conte quantos segundos o veículo leva para parar de andar. Se demorar muito, é sinal de que os freios estão com problema.

Se o carro for usado, pergunte o período ideal para calibrar pneus, de quanto a quanto tempo é preciso e etc. 

Itens adicionais

Se o carro tiver componentes extras, como ar-condicionado, aquecedor, rádio, travas automáticas, é necessário testar todos esses itens de forma individual a fim de buscar qualquer irregularidade. Não tenha receio de testar diversas vezes seguidas, uma vez que eles podem falhar de forma aleatória ou após o uso em excesso.

Agora que você já sabe o que levar em conta na hora de fazer um test drive de um carro com essas ferramentas, poderá avaliar um veículo antes de fechar negócio. No entanto, lembre-se de que o test drive é apenas a avaliação final do automóvel. É no momento em que pega no volante que você consegue verificar se o carro é aquilo que queria mesmo. Antes disso, é necessário fazer outras observações, como olhar a quilometragem e os documentos (em caso de usado) ou verificar as avaliações (em caso de 0km).

E aí, você já teve alguma experiência diferente na hora de fazer um test drive? Conte pra gente nos comentários abaixo!

você pode gostar também