Quem tem arritmia cardíaca pode fazer exercícios físicos?

Muitas dúvidas ainda existem quando a pergunta é: quem tem arritmia cardíaca pode fazer exercícios físicos?

Apenas para te adiantar, desde que seu médico libere, não tem problema algum, muito pelo contrário!

É claro que após ter recebido o diagnóstico de uma doença do coração, é possível que você sinta um certo medo e sem saber se deve fazer uma atividade física.

Por isso, vamos mostrar aqui os principais benefícios dos exercícios físicos para quem sofre de um problema cardíaco, por onde começar e quais os melhores.

Quem tem arritmia cardíaca pode fazer exercícios físicos?

Todos já sabem que a prática regular de um esporte é benéfico para o estado de saúde geral e permite prevenir diversas doenças.

Mas será que quem tem arritmia cardíaca pode fazer exercícios físicos?

Sim, pessoas que sofrem de uma doença cardíaca, não só arritmia, mas insuficiência cardíaca ou mesmo vítimas de um infarto ou AVC, podem praticar exercícios físicos leves a moderados, e é altamente recomendado.

Exceto em casos excepcionais, a atividade física não é perigosa, já que deixa o coração mais forte, o protege e ajuda a prevenir um outro problema no coração.

Agora, é indispensável consultar um cardiologista ou um profissional de saúde antes de começar qualquer atividade física, especialmente se você se submeteu a uma cirurgia para tapar furo do coração.

Quem tem arritmia cardíaca pode fazer exercícios físicos: por onde começar?

Como já foi dito, é necessário consultar o seu cardiologista antes de começar, pois fará uma série de exames, como eletrocardiograma e testes de esforço.

Com base nesses resultados, ele vai poder indicar as atividades físicas mais adaptadas à sua cardiopatia.

Lembrando que a frequência, a duração e a intensidade dos treinos dependem também do estado geral de saúde do paciente e de suas capacidades.

Portanto, o primeiro passo é consultar um médico, de preferência, um cardiologista, ou mesmo um ortopedista, se você apresentar também um problema de coluna, no joelho…

Assim que começar a se exercitar, a melhor forma de saber se você está fazendo corretamente um exercício é “escutando seu corpo”.

Por exemplo, durante o exercício, é normal sentir um leve cansaço, ficar um pouco sem fôlego ou mesmo sentir uma dor em alguma parte do corpo.

Mas, se você sentir náuseas, um ritmo cardíaco mais rápido ou palpitações cardíacas, é melhor interromper o treino.

Quem tem arritmia cardíaca pode fazer exercícios físicos: quais os benefícios?

Agora que você já sabe que quem tem arritmia cardíaca pode fazer exercícios físicos, conheça os principais benefícios para o coração e artérias:

Melhora do desempenho do miocárdio

A força de contração do coração aumenta, assim, ele deve fazer menos esforço para bombear o sangue para o corpo.

O ritmo cardíaco diminui, ou seja, o coração bate mais lentamente em repouso, assim como durante a atividade física.

Diminuição da pressão arterial

A prática regular de um esporte melhora a circulação sanguínea e é uma boa maneira de combater a hipertensão arterial, que é uma super pressão exercida nas paredes das artérias.

A longo prazo, aumenta os riscos de outras doenças cardíacas, como infarto, angina e AVC.

Para potencializar esses efeitos, especialmente na redução da pressão arterial, alguns pacientes fazem uso do suplemento Tribulus Terrestris, mas sempre com orientação médica.

Proteção das artérias

Os exercícios físicos melhoram a vasodilatação das artérias, dessa forma, o sangue vai circular melhor.

Ao reduzir as taxas do “colesterol ruim” (LDL) e dos triglicerídeos, e aumentando os níveis do “bom colesterol”(HDL), o esporte ajuda a prevenir a formação de placas nas artérias.

Redução do risco de diabetes

Atividades físicas regulares favorecem a manutenção do equilíbrio glicêmico, o que por sua vez permite prevenir o aparecimento de diabetes.

A longo prazo, isso pode levar a um infarto do miocárdio, AVC, uma insuficiência renal…

Quais os exercícios mais indicados para quem tem arritmia cardíaca?

Esportes como a caminhada, a corrida, a natação ou andar de bicicleta são particularmente benéficos em casos de doenças cardíacas.

Isso porque, eles melhoram de maneira progressiva o sistema cardíaco e respiratório.

Geralmente, os médicos aconselham uma atividade física de intensidade leve a moderada durante 20 a 30 minutos por dia, se possível, três vezes por semana.

Se você sentir alguma dificuldade no início, é possível optar por 4 treinos de 5 minutos ou 2 treinos de 10 minutos, distribuídos ao longo do dia.

Por outro lado, alguns esportes são contraindicados, aqueles mais intensos, violentos e com risco de traumatismos, tais como:

  • Futebol;
  • Basquete;
  • Boxe;
  • Artes marciais;
  • Vôlei.

Em certos casos, desde que com a autorização do cardiologista e tomando todos os cuidados, é possível retomar suas atividades anteriores, mas raramente participar de competições.

Qual a importância do aquecimento para quem tem arritmia cardíaca?

Um bom aquecimento permite aumentar progressivamente o ritmo cardíaco até o nível desejado em um período de pouco mais de 10 minutos.

Esta etapa é crucial porque nosso coração (enquanto músculo) deve se adaptar à intensidade dos esforços para que suas artérias se dilatem e permitam o sangue circular mais.

Além disso, é também importante o período de recuperação após uma atividade física, e ir diminuindo a frequência aos poucos.

Por exemplo, se a atividade física for a corrida, o exercício de recuperação pode ser uma caminhada moderada.

O objetivo aqui não é simplesmente parar. Por que?

Quando as artérias estão dilatadas, uma parada rápida pode fazer o sangue descer pelas pernas, podendo causar formigamentos.

A caminhada ou o prolongamento de um exercício físico possibilita ao sangue circular enquanto o corpo se recupera.

É importante monitorar a frequência cardíaca durante os exercícios?

Então, é necessário acompanhar o ritmo cardíaco no momento do esforço físico.

É possível calcular manualmente, mas essa tarefa é um tanto complicada em atividades como corrida ou ciclismo, sendo recomendado adquirir um monitor de frequência cardíaca.

Vale lembrar que esse monitoramento é necessário durante os treinos, mas não unicamente.

Assim, se você perceber algum sintoma diferente, é aconselhável consultar seu médico e talvez ele ajuste a intensidade dos exercícios.

Conclusão

Como você viu, quem tem arritmia cardíaca pode fazer exercícios físicos e é o melhor que você pode fazer para ter um coração saudável.

Post Anterior: Dicas Para Criar Embalagens Personalizadas Para O Seu Negócio

você pode gostar também